Breve: Louva-a-deus, um inseto mal compreendido

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Morcego, um mamífero mal compreendido


Agricultores costumam demonizá-los, atribuindo a eles até mau agouro, enquanto desconhecem os serviços que prestam ao meio ambiente, à agricultura e à pecuária.
Afinal, quem é esse carinha esquisito que só sai à noite, dorme de cabeça para baixo e já nasce com um sofisticadíssimo sonar?
Raposa voadora
O morcego não é um rato, nem inseto, nem anjo, nem demônio. Pertence à ordem dos Quirópteros, do grego kyros=mão + ptero=asa. Há somente duas subordens: a Microchiroptera, a qual pertencem os morcegos verdadeiros, e a Megachiroptera, as raposas-voadoras, encontradas na África, Oceania e Ásia. Somente esta subordem apresenta espécies de tamanhos maiores, chamados de “morcego-gigante”. Não possui exemplares hematófagos, e alguns se alimentam de peixes. Somente na Malásia, 22 mil destes animais são abatidos legalmente todo ano para fins de alimentação, e um número não definido é abatido ilegalmente, inclusive em época de reprodução.
Embora a maioria dos morcegos se alimentem de insetos e outros de frutas, a fama desses mamíferos voadores está relacionada ao fato de sugarem sangue! É verdade que os chamados morcegos vampiros existem. Mas você verá que não há razões para ter medo. Longe da má reputação do Conde Drácula, esses animais são grandes parceiros da natureza.
Os morcegos são os mais importantes controladores dos insetos voadores noturnos, incluindo-se os mosquitos e muitas pragas agrícolas. São animais de hábitos noturnos e sem nenhuma característica aparente que os torne atrativos pela população.
Apenas um morcego insetívoro é capaz de comer até 500 mosquitos em uma hora, ou seja, quase 5 mil insetos por noite. Como exemplo, podemos citar o fato de que os 20 milhões de morcegos-de-cauda-livre que habitam a Caverna de Bracken, no Texas, protegem os fazendeiros locais comendo 250 toneladas de insetos por noite!
Morcego insetívoro: orelhas maiores para localizar a presa pelo sonar
Todo este consumo de insetos, felizmente, contribui significativamente para a redução do uso de venenos químicos utilizados nas plantações, o que significa comida mais saudável para todos nós.
Morcego pescador
Há pelo menos 40 milhões de anos, eles se alimentam do pólen e do néctar das flores. A dieta pode ter se iniciado por acaso. Os biólogos acreditam que os primeiros morcegos alimentavam-se apenas de insetos. Com o passar do tempo, aconteceram mudanças em algumas espécies: uns passaram a compor sua dieta apenas de frutas (frugívoros), enquanto outros, atraídos pelos insetos pousados nas flores, acabaram utilizando-se também do néctar, complementando, assim, o seu cardápio. Há morcegos que pescam com suas garras e se alimentam de peixes e camarões.
Hoje, estima-se que 99% das espécies de morcegos dependem parcial ou totalmente das plantas como fonte de alimento. Como já mencionado, as plantas também dependem dos morcegos. Afinal, os que se alimentam de frutas podem deixar cair sementes durante o transporte, fazendo com que nova planta nasça em um novo local. Há sementes que necessitam passar pelo sistema digestório de algum animal para germinarem posteriormente. O morcego é um grande disseminador de sementes, pois tem o hábito de defecar em pleno voo.
Nectarívoro
Já os que sugam o néctar das angiospermas – plantas produtoras de flores – enfiam a cabeça nas flores, carregando consigo o pólen. Ao pousarem em outra flor, deixam nela grãos de pólen que permitirão sua reprodução.
Para se ter uma ideia da importância dos morcegos para a vegetação do planeta, basta dizer que cerca de dois terços das angiospermas das florestas tropicais do mundo são polinizadas por eles. A dispersão das sementes também faz com que eles sejam os principais responsáveis pela regeneração de florestas degradadas.
Morcegos frugívoros têm um interessante hábito: eles não comem a fruta no local de colheita, mas as abocanham sem pousar, e as levam para uma árvore onde se sentem mais seguros para saboreá-la. Supõe-se que age assim para evitar a surpresa desagradável de encontrar algum predador que possa estar lhe esperando na frutífera. Isso faz com que ele 'perca' algumas sementes ao voar, e que deixe as sementes caírem sob a árvore escolhida, depois da 'janta'. Na Região Sul do Brasil é comum se ver diversas plantas de nêspera (ameixinha) sob a copa de pés de manga, por exemplo.
Carregando pólen
Em seu ambiente silvestre, muitas plantas que produzem frutos de importância na agricultura dependem dos morcegos para polinização e dispersão de suas sementes. No México, por exemplo, os morcegos são polinizadores de cactos usados na confecção da tequila. No Brasil, eles polinizam espécies como pequi, alguns maracujás nativos, piquiá, sumaúma, munguba, jatobá, xiquexique, facheiro, caju, figo, banana, manga, tâmara, bromélias e muitas outras.
Estudos desenvolvidos na Embrapa Cerrados mostram que pelo menos 268 espécies de plantas cuja dispersão das sementes é feita por animais (zoocoria) e que são encontradas em matas de galeria, 34 delas (13%) são dependentes dos morcegos (quiropterocoria). É possível coletar sementes das fezes desses animais, já com a dormência quebrada, e selecionar sementes de espécies nativas, que apresentem também potencial para retorno financeiro, e utilizá-las para a recuperação de áreas degradadas e reflorestamento.
Das cerca de mil espécies de morcego que existem no mundo, 70% se alimentam de insetos. Apenas três delas se alimentam de sangue (hematófagos):
Hematófago no mamilo de uma porca
Desmodus rotundus, o mais comum no Brasil, habita a América do Sul e México, ataca mais os mamíferos;
Diphylla ecaudata, se alimenta de sangue de aves que pousam em árvores, cortando e lambendo suas pernas. É considerado em extinção no Paraná, principalmente por causa da degradação das florestas; e
Diaemus youngii, localmente raro no Brasil, ocorrendo na Bacia Amazônica e norte da Argentina, também ataca preferencialmente aves silvestres.
Na página da Sociedade Brasileira para o Estudo de Quirópteros é possível acessar uma lista se boas páginas com informações científicas, como é o caso da “Casa dos Morcegos”, em português (as melhores estão em inglês).
Os morcegos “vampiros” estão ajudando pesquisas científicas na busca de novos medicamentos para doenças do coração, devido a existência de uma potente substância anticoagulante na saliva destes animais.
Hematófago: incisivos afiados para o pequeno corte
Na área urbana, você não encontrará um morcego “vampiro”! Eles não toleram a luz. Ficam restritos à mata. Poderá ficar exposto o humano que entrar na mata, e mesmo assim terá de ficar quietinho, dormindo, e provavelmente embriagado, para não sentir o morcego lhe perfurar a pele. Mas um hematófago entrar pela janela e “chupar” o sangue da sua jugular, nunca!
Em todos os tempos, não existe sequer um registro no Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo, de que algum humano tivesse contraído o vírus da raiva através da transmissão do morcego. Assista a um vídeo interessante sobre isso produzido pela referida entidade.
Identificação pelo voo
Através da observação do voo dos morcegos, você poderá identificar com certa precisão se ele é frugívoro, insetívoro ou hematófago.
A partir do pôr do sol, em um local onde haja uma fonte de luz artificial, pode-se ver a movimentação.
Os morcegos insetívoros são os primeiros a estarem ativos, podendo ser observados até antes do pôr-do-sol nos dias de inverno.
Podem voar a meia altura próximo a locais com água, como fontes, lagos e riachos, em clareiras. Outras espécies voam somente sobre a copa das árvores. Emitem sons curtos, repetitivos e agudos.
Suas asas são mais estreitas e compridas, objetivando um voo rápido e ágil para capturar suas presas. Têm orelhas maiores que os outros, para aumentar a precisão na detecção da presa em movimento.
Os frugívoros e nectarívoros aparecem logo após o crepúsculo, e limitam-se a executar muitas voltas próximo à copa das árvores. Emitem sons isolados, mais longos e muito altos. Frugívoros necessitam asas mais potentes para transportar frutas. Seu voo, porém, não é muito ágil e um pouco 'barulhento'. Possui orelhas menores que os insetívoros.
Os hematófagos nunca aparecem onde há luz, só abandonam seu abrigo após a completa escuridão, voam a cerca de um metro de altura do solo, em linha reta, rumo ao local onde já sabem estar dormindo sua presa. Não emitem sons durante sua jornada para não alertar a vítima.

Curiosidades
  • Morcegos não são cegos. Apesar de usarem principalmente o 'radar' em seus velozes voos noturnos, possuem uma boa visão. As raposas voadoras não possuem radar. 
  • O menor mamífero do mundo
    O menor mamífero do mundo é o morcego insetívoro Craseonycteris thonglongyai, que mede cerca de 3 centímetros e vive na Tailândia e Myanmar.
  • As fezes dos morcegos foram muito usadas no século passado para fabricação de pólvora, e seu esterco, recolhido nas cavernas, foi largamente utilizado como fertilizante antes do advento dos adubos químicos.
  • Os hematófagos não chupam o sangue de suas vítimas. Fazem uma leve raspagem na pele com os dentes incisivos (não usam os caninos), e depois vão lambendo o sangue que escorre. Sua saliva possui um poderoso anticoagulante, fazendo com que a vítima sangre com facilidade, em gotas, enquanto ele lambe. E não são eles que fazem tranças em crinas de cavalos, mas sim o vento que os embaraça nas cavalgadas.
  • Ectophilla alba
    Há morcegos de pelagem clara, como é o caso do Ectophilla alba, o morcego-branco-de-Honduras, que vive na América Central e Caribe.
  • O morcego não consegue alçar voo a partir do solo. Os músculos de suas pernas não são suficientes sequer para o impulso. Lançando-se de um local onde estão pendurados de cabeça para baixo, fica mais fácil...
  • É muito comum uma mãe morcego adotar um filhote que tenha ficado órfão. É só uma fêmea não voltar ao abrigo no final da noite que aparecem várias candidatas à adoção.
  • "Bat-houses"
    Em muitos lugares do mundo, onde há mais esclarecimento sobre a importância do morcego, constroem-se casinhas para morcegos, chamadas 'bat-houses', assim como nós oferecemos ninhos para passarinhos.

32 comentários:

  1. que horrivel cada foto da medo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente aquilo que não conhecemos nos intimida e muito, mas é a natureza, somos parte dela.

      Excluir
    2. gosto muito desse bichinho

      Excluir
  2. Parabéns, pelo trabalho. É com informação que quebramos paradigmas.

    ResponderExcluir
  3. muito legal morcego único mamifero q voa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certo!!!

      Excluir
    2. Anônimo9/9/12 22:28

      A minha sogra também voa.

      Excluir
  4. Caio Rajo,6 anos - Os morcegos- figíveros, que comem frutas, visitam minha casa e come minhas bananas que ficam na fruteira.
    Eles moram nas árvores do jardim vizinha da minha casa. Vejo eles voando quando começa a escurecer e ai se a janela estiver aberta entram em voo vazante e vai pra cozinha. Acho interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você deve ter cuidado para não ter contato com os animais nem com suas fezes!

      Excluir
  5. Parabéns pelas informações! Sou professora e trabalharei sobre os morcegos com meus alunos, seu artigo é bem explicativo, levarei para ler com eles... Obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Mas bixo feio apareceu um aqui em casa que ele era muinto feio deu um trabalho grande pra pegar ele

    ResponderExcluir
  7. Alguém sabe me informar se aquele morcego "raposa voadora" nas mãos da garota está vivo?

    ResponderExcluir
  8. po eu pensei que esse site tivesse mais coisas eu nao queria saber nada disso eu queria saber por que eles sao classificados mamifero por favor me ajuda da pra colocar isso no site vamos ver no que da

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com permissão do autor do blog responderei a esta pergunta:
      Os mamíferos (do latim científico Mammalia) constituem uma classe de animais vertebrados, que se caracterizam pela presença de glândulas mamárias que, nas fêmeas, produzem leite para alimentação dos filhotes (ou crias), e a presença de pêlos ou cabelos. São animais endotérmicos (com exceção do rato-toupeira-pelado) , (ou seja, de temperatura constante, também conhecidos como "animais de sangue quente"). O cérebro controla a temperatura corporal e o sistema circulatório, incluindo o coração (com quatro câmaras). Os mamíferos incluem 5 416 espécies (incluindo os seres humanos), distribuídas em aproximadamente 1 200 gêneros, 152 famílias e até 46 ordens, de acordo com o compêndio publicado por Wilson e Reeder (2005). Entretanto novas espécies são descobertas a cada ano, aumentando esse número; e até o final de 2007, o número chegava a 5 558 espécies de mamíferos.(http://pt.wikipedia.org/wiki/Mam%C3%ADfero)
      Os morcegos são mamíferos pertencentes à Classe Mammalia que caracteriza-se por animais vertebrados, possuidores de corpo coberto de pêlos e que nutrem seus filhotes no início de seu desenvolvimento por leite secretado pelas glândulas mamárias das fêmeas. Esta classe é subdividida em 19 ordens, entre as quais encontramos a dos Chiroptera, onde estão agrupados os morcegos.
      (http://www.morcegolivre.vet.br/quemsao.html)

      Excluir
    2. eu gosto desse bicho aonde eu moro tem ate costuma entrar na minha casa

      Excluir
  9. eu trato de 3 filhotes de morcego que achei por emquato eles so mamam mas quando posso dar alimento solido e o que sao morcegos de casa ja faz 1 mes que cuido do primeiro que ache ja estou ensentivando 1 a voar esta meio dezajeitado ainda me ajudem

    ResponderExcluir
  10. Interessante, Michely, nunca havia visto alguém cuidar de filhotes...
    A princípio você deve tentar identificar se são frugíveros (comem frutas) ou insetívoros (comem insetos).
    Com certeza não são hematófagos, se nasceram perto de sua casa, onde há luzes à noite.
    Quanto à época de iniciar alimentação sólida, difícil saber, pois há muitas variedades. Mas pode ir tentando, quanto mais cedo melhor...
    Se forem frugíveros será bem mais fácil...
    Estimule-os a voar à noite e deixe-os à vontade se quiserem sair. Não conheço casos de morcegos 'domesticados' com sucesso...
    Me mande fotos deles para tentar identificar (ricardoalexius@hotmail.com) e conte sua histótia.
    Vou ver se hoje mesmo refaço a parte das diferenças, que o Blogger 'comeu'...

    ResponderExcluir
  11. Respondendo ao leitor que pergunta se a raposa voadora da foto está viva... não posso precisar, mas parece que sim. Afinal, existem outros artigos em que se pode ver que são inofensivos. Observe as fotos deste site: http://forums.tibiabr.com/showthread.php?t=342314

    ResponderExcluir
  12. trabalho lindo parabéns :)

    ResponderExcluir
  13. Nossa, gostei da publicação, simples e objetiva. Certamente me tirou e me colocou várias dúvidas que antes de acabar de ler seu artigo, pesquisei e aprendi ainda mais. Obrigado! Ah, compartilhei no face e espero que muita gente aprecie seu blog! Um abraço!!!

    ResponderExcluir
  14. Prezado Ricardo. Muito bom seu site. Gostaria de saber se voce conhece um
    site, livro ou uma publicação que constasse fotos de mordidas de morcegos
    e suas consequentes cicatrizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julio, não tenho fotos de mordeduras em humanos, até são bastante raras. Tenho em meu arquivo pessoal fotos de bovinos e equinos logo após o 'ataque', que usei em palestras, vou encontrá-las e te enviar (é característico ocorrer um sangramento considerável nos animais mesmo depois de o morcego abandonar o seu 'trabalho', devido ao efeito anticoagulante de sua saliva).
      Vejo uma foto interessante em http://www.morcegolivre.vet.br/acidente_mg.html, mas não conheço a idoneidade do site.
      Sugiro que visite o site da Sociedade Brasileira de Estudo de Quirópteros. É muito muito bom. Lá vc pode baixar o livro 'Morcegos do Brasil'.

      Excluir
  15. Excelente trabalho! Adorei o blog.
    Por acaso você tem alguma foto de um morceguinho com a cabeça cheia de pólen? É que eu queria mostrar para os meus alunos. Eu só tenho duas fotos de morcego em flor, mas não mostrando nitidamente o pólen.
    Obrigada, meu e-mail é ptemporal@gmail.com

    ResponderExcluir
  16. os morcegos são muito feios mas ao mesmo tempo sao bonitos e queridos

    ResponderExcluir
  17. sabem mesmo a vida dos morcegos

    ResponderExcluir
  18. Também encontrei um filhote de morcego, estamos tentando alimenta-lo com leite, mas tenho uma filha de 2 anos e tenho medo da transmissão de raiva. (cuidei dele sem usar luvas)... não faço idéia do que fazer! Por favor, espero que alguem possa me ajudar, Muito obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, peço desculpas pois o blogger não me alertou sobre o seu comentário, e só vi hoje...
      Não se preocupe com transmissão de raiva, pois é quase com certeza que não é hematófago, a não ser que vc o tenha retirado de uma caverna distante da cidade...

      Excluir
  19. Terríveis! E no Ceará também é comum essa prática (por falta de outros alimentos) de degustarem morcegos, alguns ainda vivos são abatidos a pauladas e jogados em panelas de barro!

    ResponderExcluir
  20. Li uma reportagem a respeito dos morcegos que estão invadindo o bairro de Moema-SP.
    Foi num desses jornais d bairro, e as pessoas estavam até colocando redes nas janelas de seus apartamentos.

    ResponderExcluir
  21. Acabei encontrando tbém um link sobre os casos de Moema: http://esquadraopet.blogspot.com.br/2015/08/morcegos-e-o-perigo-da-transmissao-da.html

    ResponderExcluir
  22. Ola
    tenho um grupo no whatsapp sobre morcegos quem quiser entrar
    me chame no Whats 6196192775
    /\^•_•^/\ tharaam

    ResponderExcluir

Você pode fazer aqui sua crítica ou comentário.